Ultimas

18 junho 2013

(Resenha) Stephanie Perkins - Lola e o Garoto da Casa ao Lado

Autor: Stephanie Perkins, Titulo: Lola e o Garoto da Casa ao Lado, Edição: 1, Editora: Novo Conceito, Ano: 2012, Páginas: 288
A designer-revelação Lola Nolan não acredita em moda… ela acredita em trajes. Quanto mais expressiva for a roupa — mais brilhante, mais divertida, mais selvagem — melhor. Mas apesar de o estilo de Lola ser ultrajante, ela é uma filha e amiga dedicada com grandes planos para o futuro. E tudo está muito perfeito (até mesmo com seu namorado roqueiro gostoso) até os gêmeos Bell, Calliope e Cricket, voltarem ao seu bairro. Quando Cricket — um inventor habilidoso — sai da sombra de sua irmã gêmea e volta para a vida de Lola, ela finalmente precisa conciliar uma vida de sentimentos pelo garoto da porta ao lado.


---------------------------
Sabe quando pega um livro para ler porque você está extremamente ansiosa, e quando viu não leu e sim devorou o mesmo, foi o que fiz com o livro Lola e o Garoto da casa ao lado, eu tinha lido Ana e o beijo Frances no final no mês passado(resenha aqui), e quando descobri que no livro Lola os personagens de Ana é o beijo Frances iam  aparecer, eu tinha que ler sobre meu querido Étienne St. Clair novamente, sim ele me pegou e foi por causa dele que fique alucinada em ler sobre Lola, mas me surpreende com o contexto.
Depois de ler o primeiro livro eu já esperava algo fofo, bem adolescente, com suas birras e bagunças que só o sentimento conflitante dessa faze é capaz, e não é que me pego lendo um livro bem mais profundo, só que de uma forma bem sutil de fácil entendimento, numa visão muito romântica.
Lola é uma jovem de 17 anos, que vê o mundo de uma forma única, ela é alegre, animada, e acima de tudo tem uma personalidade inusitada que reflete através de sua roupas extravagante e suas milhares de perucas.
Cricket é um jovem que a vida toda vivi a sombra de sua irmã, uma atleta concorrendo as vagas olímpicas, eu achei que era uma personagem medíocre que eles quiseram colocar como par da Lola, mas pelo contraio, mesmo sendo o segundo em sua casa, ele e extremamente inteligente, meigo e um pessoa maravilhosa, que tem que lidar com sendo excluído pelos pais e ao mesmo tempo não sendo amargo, ficou super legal, por que a autora mostrou que ele é uma pessoa única, super de bem com a vida e muito amigo e realmente gosta de nossa moçinha, mas sua dificuldade em comunicar o que sente, por causa de sua timidez atrapalha bastante seus relacionamentos.
O livro aborda temas muito complicados nessa fase, mas de uma forma divertida e leva, começando pelo namoro da Lola com um aspirante a estrela de rock, que seus pais detestam e quanto mais eles falam que ele não é bom para nossa menina mais ela acha que Max é seu príncipe encantado, mesmo ele sendo mais velho, tendo uma vida super louca e não lhe dando o devido valor.
Você vê como as coisas entre os pais da Lola e o Max são complicadas pelos cafés nas manhãs de domingo que o bonitão tem que participar ou pelos vários telefonemas que nossa moçinha é obrigada a dar aos pais quando sai com ele, mas você entende que não é somente porque eles não gostam do cara tem mais coisas ai que fazem o casal nada convencional ficar preocupados com a sua menina, a mãe dela é uma viciada em drogas e bebida e viveu vários anos na rua, eita mas a autora já nos mostrava um tema complicado, ela vai e apresenta mais um, e que não é, que ela não para por ai, o livro também fala sobre uma menina sendo criada por dois Gays, e como ela foi educada e virou a pessoa maravilhosa segura de si, fala sobre a volta do amor de infância e como ele pode não ser só um amor de infância, mostra como a timidez algumas vezes pode atrapalhar muito a comunicação entre as pessoas.
Mas mesmo mostrando tantos assuntos a autora continua firme e forte sem perder o rebolado na historia, ela não se perde ou transforma seu livro em um drama, não pelo contrario ela o faz ser uma comedia linda com uma pitada de romance adolescente, através dos lindos olhos de nossa protagonista, o que me deixou fascinada foi como ela abordou o fato da Lola ser criada por dois homens, e não faz a menor diferença na vida dela, e sim o amor que eles nutrem por ela a forma que a tratam como o ser humano mais importante do mundo, e como eles são rígidos com sua educação, seus estudos e isso fez dela uma pessoa maravilhosa, e a explicação dela de porque irrita tanto quando alguém pergunta que e a mulher da relação demonstrou a mesma ira que qualquer pessoa que tem amigo gay, irmão gay na família sente.
A Diagramação ficou muito boba, cheio de detalhes nas paginas, com uma capa linda que reflete bem seus personagens. 

Não deixe de participar do top comentarista do mês de julho em!!
Sua participação é muito importante para gente

4 comentários:

  1. Eu sou APAIXONADA por esse livro e nem o li ainda. Sempre leio resenhas e a história é muito linda, né?? Preciso comprar esse livro logo.

    ;)

    http://pseudonimoliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pelos seu comentário, ele move nosso blog e nos faz muito contentes.

 
Copyright © 2014 Louca Escrivaninha
Traduzido Por: Louca Escrivaninha - Design by Le Pimenta